quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Estar em dois sítios ao mesmo tempo é possível

Sítio é a versão portuguesa de site. É possível estar em dois sites ao mesmo tempo. Todos sabem. É também possível estar num sítio real e noutro virtual ao mesmo tempo, mas depende do que entendem por estar.

Já perdi a conta ao número de vezes em que estou com uma pessoa e a pessoa não está comigo, porque claramente o que lhes mostra o ecrã do telemóvel é mais interessante, algo de que não duvido.

Se for um daqueles casos em que cada um está a fazer a sua coisa, nem há mal nenhum. Se a pessoa partilhar a experiência comigo até deixo passar. Do tipo, "Olha-me isto, tão engraçado/emocionante/interessante".

Se for alguém que me é próximo até me queixo ou dou uma dica. Se não for, não volto a repetir o erro de sair para conviver para depois estar com um zombie. Se me queixo e a pessoa ignora, já não digo mais nada e internamente a pessoa desce na minha consideração. Mas isto está a tornar-se comum.

O ser humano é atraído por coisas dois em um. Muitas funções num objecto, remixes de comida, tipo os cronuts, e multitasking, mas este último é um mito e se não acreditam é porque estão a prestar atenção noutra coisa além disto. Atenção a 100%, só a uma coisa. Não há isso de conseguir usar um ouvido para uma coisa e o outro para outra ou ouvir alguém enquanto se lê as notícias ou se vê fotos num mural social.

Os aparelhos criados para nos facilitar a vida estão a tornar-se distracção, e pior, substituição. Enquanto seja possível estar em dois sítios ao mesmo tempo, não é possível interacção a 100% com os dois nem uma sã convivência humana. Eu até acho que já somos ciborgues assim, sem chips no cérebro.

As pessoas andam tão ligadas que se desligaram, entre likes e corações e partilhas e perseguições virtuais e vidas melhores e corpos melhores aparentemente apenas. Ao menos nisso, nada mudou. Seja o que for que é do vizinho continua a ser melhor. Mas será que em terra de cego, quem tem olho ainda é rei?

Vanessa

2 comentários:

marta filipa costa disse...

Não acredito nada disso do multitasking. Mas, por exemplo, vejo novelas na sala ao mesmo tempo que estou no computador no facebook porque não me interessa nenhuma das duas em particular e não há problema em "perder" informação. Mas para estudar, estar a dar explicação, adiantar trabalhos, dedico-me só a essas tarefas e toda a gente fica muito admirada por despachar as coisas tão rápidas (talvez não perca tempo a ir a todas as redes sociais enquanto faço o trabalho!).

Ah! E quando estou com os meus amigos não sou mesmo nada multitasking! Quando marco almoços e jantares com amigos, geralmente quando vou comer já está tudo frio!!

Vanessa S.S. disse...

És cá das minhas então. Mais fossem como tu e o mundo seria tão melhor. Pelo menos mais atento à realidade do que à virtualidade. Obrigado pelo testemunho. Viva à concentração e fora o multitasking! ;)

Beijinho,
Vanessa