segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Equilíbrio

Domingo atrasei-me para a apresentação do último livro de Ricardo Araújo Pereira, A Doença, o Sofrimento e a Morte Entram num Bar, por causa de calhaus. O que se passa comigo e os calhaus deste mundo não sei. Quando cheguei à Fnac, já a sala estava cheia e o Ricardo Araújo Pereira estava mesmo a começar a falar. 

O que achei engraçado foi que depois da dispersão, muitos dos presentes e o próprio Ricardo Araújo Pereira começaram a fazer aquilo que se faz na secção dos livros da Fnac. Ver livros, revirar livros, ler sinopses e primeiros parágrafos e essas coisas literaturescas. Ninguém o abordou, que eu visse, fora da sala.

Há um certo equilíbrio nas pessoas que lêem, como o há nos calhaus que um senhor costuma empilhar na Ribeira das Naus em Lisboa, equilíbrio esse que não vejo nos não leitores. Nota-se na postura, no discurso e nas acções. O que não quer dizer que quem não lê é desequilibrado ou inferior. São diferentes e compõem a maioria das pessoas do mundo, tenho quase a certeza. Por causa disso, o equilíbrio dos leitores é mais notório.

É um equilíbrio diferente, o dos leitores e o dos não leitores. Equilíbrio ou equilibrismo.

Percebi também que o humor me sabe melhor quando é escrito. Fica apurado. Chega a ser mais interactivo. É mais equilibrado, mesmo que fale de aspectos da vida como doença, sofrimento e morte.

Há equilíbrio numa vida desde que haja piada em sítios imprevisíveis. 

Vanessa

2 comentários:

m-M disse...

A foto está fantástica! :)

O RAP, já esse, não me tem deixado grandes saudades...

Vanessa S.S. disse...

Obrigado :)

Beijinho,
Vanessa